Coelhinho
 

  I         
 

De olhos vermelhos
De pêlos branquinhos
dou saltos bem altos

Eu sou o coelhinho.

   
 

II
Sou muito assustado
Porém sou guloso
Por uma cenoura
Já fico manhoso.

   
  III  
  Comi uma cenoura
Com casca e tudo
Tão grande ela era
Que eu fiquei um barrigudo.
 
     
  IV  
 

Dou saltos p’rá frente
Dou saltos p’ra trás
Eu sou um coelhinho
Que de tudo sou capaz.

 
     
  V  
  Eu pulo p’ra frente
Eu pulo p’ra trás
Dou mil cambalhotas
Eu sou forte demais!
 
   

Fim

 

 

 

 


 

A Sombra

 

 

Eu sou um coelhinho

Orelhudo e peludinho.

Eu sou um coelhinho

Minha vida é só pular

Minha sombra é engraçada

Ora curta, ora alongada

Uma sombra engraçada

Que me vai acompanhar.

Se eu pulo, ela também pula

Fica quieta se eu parar.

 

Fim

 


 

Ratinho foi ao baile

 

 

I
Ratinho foi ao baile
De cartola e jaquetão
Sapato de bico fino
E uma luva em cada mão. BIS

II
Encontrou uma carochinha
Que dançava no salão
Ratinho se aproximou
Apertando a sua mão. BIS

III
Convidou-a p’ra dançar
Ela respondeu que não
Carochinha estava noiva
E não quis complicação.
Ratinho muito triste
Retirou-se do salão. BIS
 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

        

 

 

 


 

Atirei o pau ao gato
 

 

 

Atirei o pau ao gato, to, to
Mas o gato, to, to
Não morreu, eu, eu
Dona Chica, ca, ca
Assustou, se, se
Com o berro, com o berro
Que o gato deu
Miau!...

Fim

 

 

 

 

 


 

         

 

 


 

Era uma vez um cavalo

 
 

 

 

Era uma vez um cavalo
Que vivia no seu alto carrossel
Era tão lindo e tão belo
Cavalinho, cavalinho de papel.
A correr, trá-lá-lá
A saltar, trá-lá-lá
Cavalinho não saía do lugar
Trá-lá-lá .

 

Fim

 

 

 


 


 

Era uma vez um cavalo

 
 

 

Era uma vez um cavalo
Que vivia no seu alto carrossel
Tinha as orelhas furadas
E a cabeça era feita de papel.

Plop  plop  plop
Vamos a galope
Plop  plop  plop
Vamos a galope.

 Venho da feira
Vou p’ro moinho
E o meu cavalo
Vai cansadinho.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

 
 


 

Três galinhas

                                                                       

                                                                                

 

 

Três galinhas a cantar,

Vão para o campo passear.  

Uma à frente é a primeira,

Logo as outras em fileira.

Vão assim passear,

Os bichinhos procurar.

 

Fim

 

 

 


 


O Cuco

 

 

 

Estava na floresta, um cuco a cantar.     
Por trás de uma giesta, nós fomos escutar:
Cú-cú, cú-cú, cú-cú, cú-rú-cú-cú.
Cú-cú, cú-cú, cú-cú, cú-rú-cú-cú.

A noite estava escura, não havia luar.
Ouvimos lá ao longe, um lobo a uivar:
Aú, aú, aú, aú, aú, aú, aú, aú, aú.
Aú, aú, aú, aú, aú, aú, aú, aú, aú.

Estava na cozinha, sozinha a trabalhar,
Ouvi lá num cantinho, um gatinho a miar:
Miau, miau, miau, miau, miau, miau.
Miau, miau, miau, miau, miau, miau.

Fim

 

 

 

 


 

O nosso galo

 

                                                                                            

 

 

O nosso galo é bom cantor,
É bom cantor tem boa voz.
Está sempre a cantar,  
Có-có-ró, có-có-ró.

Mas veio um dia e não cantou,
Outro e mais outro e não cantou.
Nunca mais se ouviu: Có-có-ró, có-có.
Nunca mais se ouviu: Có-có-ró, có-có.

 

 

Fim

 

 

 

O Sapo

 

 

 

O sapo, o sapo
Tem cores bem alegres
Não tem, não tem
Rabinho nem orelhas

 Uá quá,quá, uá quá, quá
Uá, uá, uá

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sapo Zururu

 

 

Sapo zururu
À beira do rio
Quando o sapo grita, oh maninha,
É porque tem frio.
A mulher do sapo
Deve estar doente
Fazendo rendinha, oh maninha,
P´ro seu casamento.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

Cachorrinho Bonito

 

 

 

Cachorrinho está latindo

Lá no fundo do quintal.

Vai te embora cachorrinho,

Deixa o meu benzinho entrar.

Cre-o-lá-lá, cre-o-lá-lá, cre-o-lá-lá,

Cre-o-lá-lá, cre-o-lá-lá, cre-o-lá-lá,

Cre-o-lá-lá, não sou eu que caio lá.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

A Vaca Leiteira

 

 

I
Era uma vaca leiteira,
Não era uma vaca qualquer,
Dava leite e manteiguinha,
Era uma vaca bem fofinha.
Dlim dlão, dlim, dlão.

II
Um chocalho se comprou,
E vaquinha até gostou,
Passeava pelo prado,
Matava moscas como o rabo.
Dlim, dlão, dlim, dlão.

 

Fim

 

 

 

 

             

 

 
 

 

 

Um Burro e um Boi

 

 

 

Um burro e um boi,
Cansados de andar.

Á sombra da Oliveira,
Ficaram a descansar,
Ficaram a descansar


Trá-lá-lá.

 

Fim

 

 

 

 

 

        

 

Lá vai uma, lá vão duas

 

 

 

I
Lá vai uma, lá vão duas
Três pombinhas a voarem.
Uma é minha, outra é tua
Outra é de quem a apanhar.

 II
Sete e sete são catorze
Com mais sete vinte e um
Tenho sete namorados
E não gosto de nenhum.

III
A criada lá de cima
É feita de papelão
Quando vai fazer as camas
Diz assim para o patrão.

IV
O preto fuma charuto
Charuto já ele o é
O preto fuma charuto
Ao canto da chaminé

 

Fim

 

 

      
 

 

 

 

 

 

 

 

O Leão que não era leão

 

 

 

I
Eu conheci um leão, leão, leão
Mas não era um leão, não era não
O que era então?                         
Não digo não, não digo não. (Bis)

 II
Tinha orelhas de leão, leão, leão
Mas não era um leão, leão, leão
O que era então?                         
Não digo não, não digo não. (Bis)

III
Tinha patas de leão, leão, leão
Mas não era um leão, leão, leão
O que era então?                         
Não digo não, não digo não. (Bis)

IV
Tinha cauda de leão, leão, leão
Mas não era um leão, leão, leão
O que era então?                         
Não digo não, não digo não. (Bis)

V
Ora diga, diga, diga lá então
Ora diga, diga, diga lá então
Era a leoa a mulher do leão.  
(3 vezes)

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As Pombinhas da Catrina

 

 

 

I
As pombinhas da Catrina
Andaram de mão em mão
Foram ter à quinta nova
Ao pombal de S. João.

II
Ao pombal de S. João
À quinta da roseirinha
Minha mãe mandou-me à fonte
E eu parti a cantarinha.

III
Ó minha mãe não me batas
Que eu ainda sou pequenina
Não te bato porque achaste
As pombinhas da Catrina.

 

Fim

 

 

 

 

 

O Passarinho

 

 

 

I
O passarinho não sabe voar
Porque é pequenino
Mas já sabe cantar.

II
O passarinho canta duas notas
Mi, mi, mi, sol
Que estão nesta canção.

III
O passarinho já canta muitas notas
Mi, mi, mi, sol
Mi, dó, dó, ré, ré , dó

Do, ré, mi, fa,  sol, lá, si, dó
Do, si, lá, sol, fa, mi, ré, do.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

Borboleta

 

 

 

 

 

Borboleta do jardim

Eu sou flor poisa em mim

Borboleta não te vás,

Vale a pena volta atrás.

 

 

Fim

 

 

 

          
 

 

 

Os Patinhos

 

 

 

I
Todos os patinhos
Sabem bem nadar
Cabeça para baixo
Rabinho para o ar. (Bis)

II
Quando estão cansados
Da água vão sair
Depois em grande fila
P’ró ninho querem ir. (Bis)

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

Borboleta Bailarina

 

 

 

I
Sou borboleta bailarina
Gosto muito de cantar
No monte ou na campina
Na horta ou no pomar
Sou também muito vaidosa
E quando chego ao jardim
Beijo o cravo, beijo a rosa
E ponho-me a bailar assim.

REFRÃO

La la la la la
La la la la la la la
La la la la la
La la la la la la l a.

II
De noite, fico parada
Sem saber o que fazer
Mas se chega a madrugada
Ponho-me logo a mexer
E quando o sol aparece
Lá no monte a espreitar
Meu corpo todo estremece
E põe-se logo a bailar.

REFRÃO

La la la la la
La la la la la la la
La la la la la
La la la la la la la.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

Lagarto pintado

 

 

 

Lagarto pintado
Quem te pintou?
Foi uma velha que aqui passou.
No tempo da eira,
Fazia poeira,
Puxa lagarto,
Por esta orelha!..

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

 

Canguru

 

 

Salto eu

Saltas tu

Para ver o que mais salta

Não sou eu

Nem és tu

Quem mais salta é o canguru.

 

Fim

 

 

 

 

 

                  
 

 

 

Atirei um pau ao gato

 


 

Atirei um pau ao gato to
Mas o gato to
Não morreu (eu-eu)
D. Chica (ca-ca)
Assustou (se-se)
Com o berro
Com o berro
Que o gato deu
Miau!

II
Sentadinha à chaminé(é-é)
Veio uma pulga(ga-ga)
Mordeu-lhe o pé (é-é)
Ai ela chora (ra-ra)
Ai ela grita (ta-ta)
Ai vai-te embora
Ai vai-te embora pulga maldita.

 III
Havia uma casinha (nha-nha)
Tão cheiinha (nha-nha)
De capim (pim-pim)
Saiu de lá (lá-lá)
Uma lagarticha (cha-cha)
Olhou p’ra mim
Olhou p’ra mim
E fez-me assim: (Põe-se a língua de fora)

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

O Porquinho foi à horta

 

 

 

O porquinho foi à horta
E comeu uma bolota
O cão também lá quis ir
Mas fecharam-lhe a casota
É bem feita porque o cão
Tem a mania de ser espertalhão. (Bis)

 

 

Fim

 

 

 

 

 

 
 

 

O Porquinho foi à feira

 

 


O porquinho foi à feira
Não sabia o que comprar
Lá comprou uma cadeira
P’rá mamã se sentar

A mamã se sentou
E a cadeira rebentou Pum!
Com o dinheiro que gastou.

 

Fim

 

 

 

 

 

 


As Galinhas

 

Doidas, doidas, doidas
Andam as galinhas
Para pôr o ovo
Lá no buraquinho.

Raspam, raspam, raspam
P’ra alisar a terra
Bicam, bicam, bicam
P’ra fazer o ninho.

Arrebita a crista o galo vaidoso
Có-có-ró-có-có grita refilão
E todo emproado de olhar majestoso
É o comandante deste batalhão.

 

Fim

 

 

 
 

 

O Macaco

 

 


Tenho cinco reis
Tenho um alguidar
Tenho um macaquinho
De pernas p’ro ar.
Quando me levanto
Tiro-lhe o boné
Aperto-lhe a mão
Oh la-ri-ló-lé.

 

Fim

 

 

 

 

                 

 

     

 
 

 

A Barata

 


 

A barata diz que tem
Sete saias de filó
È mentira da barata
Ela tem é uma só
Ah, ah, ah!
Oh, oh, oh!
Ela tem é uma só.

A barata diz que tem
Sapatinho de veludo
È mentira da barata
Ela tem é o pé peludo
Ah, ah, ah!
Oh, oh, oh!
Ela tem é o pé peludo.

 

Fim

 

 

 

 

 

Os três gatinhos

 

 

Os três gatinhos
Perderam os chapelinhos
Puseram-se a chorar
Oh mamãezinha
Os nossos chapelinhos
Não os podemos achar.

Perderam os chapelinhos?
Mas que feios gatinhos
Então não vão brincar
Miau fru-fru
Então não vão brincar
Miau fru-fru

Os três gatinhos
Acharam os chapelinhos
Puseram-se a cantar
Oh mamãezinha
Os nossos chapelinhos
Já os podemos achar.

Acharam os chapelinhos?
Mas que lindos gatinhos
Então já vão brincar
Miau fru-fru
Miau fru-fru
Então já vão brincar.

 

Fim

 

 

 

 

 

 
 

 

 

Peixinho Vermelho

 

 

 

Peixinho vermelho
Nadou, nadou
E as migalhinhas
Papou papou

E cinco peixinhos
Vieram então
Comer migalhinhas
Na minha mão.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

Peixinho Vermelho

 

 

 

I
Peixinho vermelho
No mar a nadar. (Bis)

Olha o gato mau,
Olha o gato mau
Que te quer papar. (Bis)

II
Muito cuidadinho
E muita atenção. (Bis)

Que o gato ao peixinho,
Que o gato ao peixinho
Quer deitar a mão. (Bis)

 

Fim

 

 

 

 

 

O Lobo mau

 

 

 

Eu sou o lobo mau, lobo mau, lobo mau

Eu pego os cabritinhos p’ra fazer mingau.

Hoje estou contente

Vai haver festança

Tenho um bom petisco

Para encher a minha pança.

 

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

O Bicho-da-seda

 

 

 

O bicho-da-seda
Sempre a trabalhar
Faz o seu casulo
Para lá morar
Que grande surpresa
Veio acontecer
Linda borboleta
Vai de lá nascer.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

Meu Gatinho

 

 

 

Meu gatinho, meu gatinho
Vai dormir, vai dormir
Muito bonitinho, muito bonitinho
Ron, ron, ron
Ron, ron, ron...

 

Fim

 

 

 

 

 

 

Ursinho

 

 

 

Eu tenho um ursinho
Que dorme ao pé de mim
Quando eu vou p’rá cama
Ele diz-me sempre assim
Anda aqui vem sonhar.

 Faz ó ó ao pé de mim
Eu só gosto de estar junto a ti.
(Bis)

 

Fim

 

 

 

 

 

 


Cabritinhos

 

 

São os cabritinhos que saltam nos montes
Saltam, saltam, saltam, saltam, saltam

São os peixinhos que nadam nos mares
Nadam, nadam, nadam, nadam, nadam

São as pombinhas que voam nos céus
Voam, voam, voam, voam, voam

São os macaquinhos que trepam às árvores
Trepam, trepam, trepam, trepam, trepam

São os bebés que dormem nos berços
Dormem, dormem, dormem, dormem,
dormem

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Três pintainhos

 

 

Três pintainhos
Tem minha tia
                                   
Tem minha tia
Tem minha tia.
Um que canta
Outro que pia
Outro que chama
Tia Maria.

Vamos todos piu, piu, piu
A correr piu, piu, piu
As ervinhas piu, piu, piu
Vamos comer, piu, piu, piu, piu

 

Fim

 

 

 

 

         
 

 

 

A Joaninha

 

 

Olha a joaninha
Sempre coradinha
Nunca chora nunca
É mesmo um amor

Viva a alegria
Dos nossos petizes
Nunca pára nunca
São muito felizes.

E encontra bem depressa
O coelhinho a saltar
.

 

Fim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

História dum Ovinho

 

 

I
Era uma vez
Uma história dum ovinho
Tanto aqueceu
Que nasceu
Um pintainho
Com o seu biquinho
A casca partiu
E muito aflito
Começou o seu piu-piu.

Refrão
Piu-piu-piu-piu
A chamar por sua mãe
Piu-piu-piu-piu
A galinha a correr vem.

II
Mas quando a fome
Chega ao seu papinho
Esgravata o chão
À procura dum bichinho.
Um grão aqui
Outro além vai buscar
Mas se tem frio
Começa a piar.

 

Fim

 

 

 

 
 

 

Sete Cores

   

Refrão

Sete cores, de repente
O arco-íris se desata
Na água límpida e contente
Do ribeirinho da mata
O sol tão resplandecente
Ilumina a floresta
E a lagarta lentamente
Do casulo se liberta.

I
Ela agora é borboleta
E feliz põe-se a voar
Para as suas lindas cores
No arco-íris misturar.

II
Voa, voa borboleta
Dando vida à floresta
Ao som de uma trombeta
Toda a vida é uma festa.
 

 

Fim